terça-feira, 26 de maio de 2009

Segunda- feira, 25 de maio de 2009 às 23h53min.
Palácio Lilás

Maldita cultura a nossa!
Por que temos que lidar com o fim de uma maneira sempre trágica e dolorosa?
Por que sempre que pensa-se no fim, a idéia vem acompanhada de lágrimas, sofrimento, perda?
Por que essa minha revolta contra o fim?
Porque eu nunca gostei de fim, nenhum deles, fim de novela, fim de seriado, fim de desenho, fim de amizade, fim de namoro, fim de comida, fim de tarde, fim de festa, fim de final de semana, fim do chocolate, fim do livro, fim da linha, fim do mês, fim da vida... Entre tantos outros fins!
Toda vez que alguém fala do fim, já vem aquela sensação de “oh não!”.

Essas idéias todas surgiram devido ao fim de um blog que eu gosto muito, o Cinta-Liga!
Mesmo que do fim venha novas idéias, novos começos, continua tendo o impacto da palavra fim em si!
Eu gosto de começo, eu gosto de novidade, eu gosto daquele sabor quando tudo é novo, tudo é bom, e tudo parece que vai ser eterno, e por alguns segundos eu acredito que pode ser...
Mas começos propiciam o fim, cedo ou tarde!
Gosto de coisas eternas...
Gostaria que as lembranças fossem eternas!
Porque tudo tem que ter um fim?
Será que é mesmo o fim?
Quando saber quando é o fim, ou a hora de ser o fim?
Pior é ter que ser a responsável pelo fim!
Pior ainda é ver que minhas escolhas, minhas opções fizeram chegar o/ao fim!
Isso normalmente me deixa muito mais abalada do que um simples fim!


Fim... O que é realmente o fim?
Como você encara o fim?
Que tipo de fim mais te incomoda?
Todo fim tem um lado positivo?

Todo o fim pode ser bom!
Basta ter coragem para enxergar as coisas de uma nova forma, de um ponto de vista onde o fim faça parte, pois eu sei que o fim faz parte, mas as pessoas, a sociedade insiste em chorar o fim!
Como eu vou poder superar o fim se todos implicam quando eu consigo não ligar para o fim?
Se eu fingir que continua tudo igual as pessoas me recriminam e ainda me alertam, você não sabe? Chegou ao fim!
Quem dera eu ser o próprio fim, e ver todos se abalando por mim... e se importando com o fim!
Confuso sim! Complicado também!
Às vezes eu gosto de complicar.
Porque se a vida for fácil e simples não terei porque filosofar!

4 comentários:

Max Psycho disse...

vai ver voce sempre espera um final feliz e na nossa vida nem sempre é assim

A Madrasta Má disse...

Minina que isso.... afff tá complexo! Pq não quero entender.... Mas o fim que realmente odeio é o relacionado às pessoas, morte e separação... não lido bem com isso! Bjinhos da Madrasta que te ama!

Loira e Morena disse...

Ai o fim de tudo é terrível né, sempre tem algum sofrimento!

Beijaooo da Morena!

Carla Martins disse...

Concordo! Principalmente em fim de relacionamentos, as pessoas tendem a se sentirem no fundo do poço, como se a vida não fizesse mais sentido e como se uma pessoa fosse completamente dependente de outra para ser feliz. Isso é horrível.

Às vezes dói, é claro. Mas tão claro quanto a dor que se sente é a certeza de que tudo vai passar e que, na maioria das vezes, o fim veio porque era mesmo o melhor. Se as pessoas tivesse a tendência de serem mais positivas do que negativas, o fim não seria encarado sempre como uma coisa ruim, triste, pra baixo.

Beijos!