quinta-feira, 14 de maio de 2009

Quarta- feira, 13 de maio de 2009 às 22h11min.
Palácio Lilás

Não estou muito bem não, então se você não estiver a fim de ler uma dose de reclamações e alguns problemas sugiro outro blog qualquer listado no painel.

Esta semana está estranha, ou esta semana estou estranha?
Não sei bem dizer, mas estou mal.
Começando pelo fato de que não tenho vontade de comer, o que já pode considerar meu caso grave, porque mesmo nervosa, irritada, triste ou ansiosa eu como, e muito. Quando tenho problemas costumo comer várias porcarias, além de almoço e janta normal. Mas estou sem vontade de comer.
Essa semana esta tendo greve de ônibus em Campinas, o que não me afeta diretamente porque os ônibus de Valinhos para lá estão funcionando normalmente, mas como a maior parte das pessoas da faculdade são de campinas, a faculdade resolveu dispensar agente oito horas desde segunda- feira. Logo, tenho ido e ficado uma hora até voltar para casa.

Mas chegando à rodoviária cedo, não tem o ônibus que passa aqui em casa, porque um ônibus sai oito e cinco e o próximo só dez horas, porque o motorista vai jantar. E tenho que pegar o ônibus Pq. Portugal, que me deixa longe da minha casa e eu ainda tenho que atravessar a rodovia. É terrível porque de noite aqui perto da rodovia não tem luz, tenho duas opções de ponto para descer, num deles além da rodovia, tenho que atravessar um canteiro íngreme de mato que não foi podado para chegar em casa, não consigo enxergar nada, mas ao atravessar o mato, é só subir dois quarteirões que estou em casa. A segunda opção de ponto é em frente um posto de gasolina, bem mais longe de casa, onde eu tenho que caminhar ao lado da rodovia, até a entrada do bairro e depois caminhar mais alguns minutos até a minha rua.

Esse ônibus já me estressa. E o pouco caso da minha família em eu ter que pegá-lo é estressor também, bem que eu poderia ligar pro meu pai me buscar, mas quando chegasse em casa ia ser aquele falatório da minha mãe, dizendo que eu era folgada demais e me incomodava de andar dez minutos a pé. Claro, não é ela que vem no escuro trincando pra qualquer e toda sombra que aparece por perto.
Hoje foi o ápice das surpresas com os ônibus do interior. Descobri que o itinerário muda conforme o horário. Logo, peguei o mesmo ônibus que estou acostumada a pegar na faculdade e fui parar bem longe da rodoviária, só porque eram oito horas ao invés de dez. Por sorte, ou por tanto praguejar, o motorista já ia pra garagem, e ficou com pena da perdida no ônibus, resolveu dar uma volta e me deixar num local onde eu conhecia, que fica um pouco mais longe do que o local do segundo ponto em que eu desço do ônibus Pq. Portugal, mas pelo menos sabia chegar em casa.

Não, mas isso não tem nada a ver com eu não estar bem, isso foi só o que ocorreu nos três primeiros dias da semana, pra comprovar que há algo errado!
Eu não estou muito bem porque ando dormindo demais e continuo com sono.
Está certo que eu não tenho ido dormir cedo, mas eu nunca dormi cedo, mas tenho acordado muito tarde, e mesmo quando acordo meio dia, tomo um copo de leite e meu corpo cansado me força a voltar para a cama.
Eu estou tão cansada e minha cabeça dói. Mas eu não faço nada.
Minha mãe não sabe mais se sente raiva por eu estar folgada desse jeito ou se fica preocupada por eu ter algum problema mesmo.
Só sei que hoje acordei quatro da tarde, com a mínima vontade de levantar, tomei um leite e voltei para cama.
Quando era quatro e meia levantei pra tomar banho, com vontade de faltar na faculdade e voltar a dormir.
Tomei meu banho, nem comi nada, só peguei um pacote de bolacha de água e sal e saí pra faculdade.

Nossa, estou tão desanimada, tão cansada. Mas não tem motivo pra isso.
Hoje eu tinha até me programado para retocar as unhas, fazer depilação, dar um jeito nos cachos, mas não fiz nada.
Cheguei da faculdade sem fome e sem vontade de comer, comi as bolachas de água e sal e uma maça, só.
E a vontade que me deu ao chegar foi deitar na minha cama e ficar quietinha debaixo do meu edredom. Com muito sacrifício, luto para me manter sentada para escrever, mas meu corpo pede cama!
Mas eu não deveria ter sono! Dormi demais já!
Não estou nem mesmo cansada de pensar.
Tenho tido sonhos estranho, com pessoas da faculdade que nem conheço, com amigos do abc, sempre coisas bizarras e fatos irreais.
Nos intervalos entre acordar e virar para o outro lado voltando a dormir, os confusos sonhos se misturam com a realidade, chego a sonhar que me levanto da cama, troco de roupa e vou tomar café, converso com a mamãe, muito real, mas logo em seguida chega alguém estranho, o ambiente não é mais a minha casa e assim segue o sonho.

Estou começando a me assustar com essa minha situação de não fazer nada e não ter vontade de fazer.
Ontem à noite falei com o Fef, meu Toddynho, e estávamos combinando que eu ia pro abc pra gente sair, ir num pagode, dar uma volta, se ver, atualizar as novidades, fiquei super empolgada, mas hoje me sinto tão estagnada, sem a menor vontade de me mexer, muito menos de viajar pra SP!
Parece que alguma coisa paira sobre mim, me deixando sem vontade, sem atitude, sem motivação.

Domingo tive a impressão de que ficaria doente, pois minha garganta estava arranhando, daí bebi bastante água e passou, e agora essas sensações estranhas.
O engraçado é que a maioria das pessoas, ao dormir certo tempo o sono acaba, e mesmo que esta permaneça na cama, não consegue dormir, já eu, só deitar e já durmo, mesmo se eu tiver acabado de acordar de horas de sono, sem a menor dificuldade, sem o menor incomodo, luz acesa, apagada, com conversas, barulhos, radio ou TV ligados alto na sala, nada, simplesmente deito e apago.
Agora mesmo a minha vontade é me jogar e dormir.
Mas vou agüentar até mais tarde, para ver de durmo menos.
Meu quarto está sujo e bagunçado, mas a coragem para arrumar deve estar em meio à bagunça, porque eu não acho.
Minha cabeça pesa, meu corpo dói, não sei se de tanto dormir, mas me sinto cansada.
Disse minha mamãe que a água de Valinhos é diferente das outras águas, e eu tomo a água da torneira, mas filtrada. E tenho tomado muito dela de domingo pra cá. Minha mamãe ouviu dizer que quem toma da água de Valinhos não quer ir embora, ela também acha que a pessoa que toma a água fica mais lenta, porque a população em geral é tão lenta, não está preocupada com nada. Nossa, chego até ficar irritada quando tenho que ser atendida rápido em algum lugar, ou quando quero alguma coisa fácil e as pessoas enrolam horrores.
Será que a água está fazendo efeito em mim?
Eu nunca gostei de água e só estou bebendo para melhorar a garganta, mas vai saber os efeitos?

Mamãe acaba de me mandar comer alguma coisa, para que eu não desmaie amanhã quando acordar, ela está preocupada e eu não sei o que dizer, não quero que ela se preocupe.
Mas sinceramente? Vontade de comer zero e fome nula!
Não sei... Não sei... Não sei...
Vou empurrar algo pra dentro, só pra ela não ficar preocupada.
Um lanche com pão de forma e leite, só!

4 comentários:

Cansada de ser boazinha disse...

Olha, eu passei por uma fase parecida, quando terminei meu namoro. Emagreci demais, minha mãe ameaçou de me internar em uma clínica. Era depressão mesmo... coisa assustadora.
Não sei se aconteceu alguma coisa contigo, mas tenta fazer algo que te anime. Converse com alguém, procure um amigo. Isso me ajudou muito.
Qualquer coisa, grita!
Bjos! Fica bem!

Ausência Instável disse...

Isso que é desabafo!
A solidão as vezes é bom, mas seja qual for a paixao, de amigo, colega ou ate do cachorro ... é a melhor.
O sudito pode deixar essa passar!
Melhoras...!!!

Bjaum!

Yuuko-sama disse...

affe eu sei oke vc ta sentindo
e uma fase
e rui mas passa
espero ke passe logo amiga o//

Carla Martins disse...

Eeeeeeeeeeee......quero ver a sua listinhaaaa!!!