terça-feira, 15 de setembro de 2009

Terça- feira, 15 de setembro de 2009 às 00h 19 min.
Palácio Lilás – Alto dos Vales Valinhenses


Quero escrever sobre você, mas não sei nem por onde começar.
Já contei que amo contos de fadas? E ultimamente anda aparecendo uns contos novos.
“Ela não acreditava em vampiros, até se apaixonar por um...”
Gosto mais desse particularmente, ultimamente.

É possível se apaixonar por alguém sem ao menos conhecê-lo? Conhecer realmente, ou apenas reconhecer?
Quanto tempo é preciso pra conhecer alguém? Acho que pouco mais de uma vida, porque as pessoas vão mudando com o passar do tempo, e a cada nova situação que um casal enfrenta, nem sempre você vai saber o que o amado pensa e vai fazer. Varia demais, assim como hoje ele pode agir de um jeito e amanhã de outro. Seres humanos aprendem com o tempo, evoluem, mudam o jeito de pensar, falar, hábitos e costumes, mudam de casa, de cidade, de carro, de amigos e tudo isso pode influenciar nas ações e reações.
Então, se para conhecer uma pessoa realmente precisa-se de uma vida toda ao lado dela, ninguém conhece a pessoas por quem se apaixona por aí. Uma pessoa que você conhece há três anos, por exemplo, ao se aproximar dela, se apaixonar, você não pode considerar que conhece realmente.
Então podemos nos apaixonar por alguém que não conhecemos!
É possível gostar tanto de alguém pelo jeito que pensa?
E se esse alguém for diferente de todas as pessoas que você já encontrou na vida?
Se essa pessoa tem idéias brilhantes, ideais formidáveis?
Se ela escreve de uma forma culta e inteligente, sagaz e petulante?
Se ela for muito igual a você, te entender de uma forma que ninguém nunca entendeu, mas ao mesmo tempo ser tão diferente e não conseguir explicar nada.
Se ela for especial?
Se não dermos o devido valor no tempo certo?

É possível acreditar em palavras?
Mesmo que elas pareçam as mais puras e verdadeiras, como você pode acreditar se não conhece a pessoa que as recita?
Será que se pode arriscar?
O quanto se pode arriscar por uma pessoa que faz com que você se sinta tão querida?

É possível se recuperar de um tombo de um abismo?
Se você se joga numa brincadeira dessas, se você resolve acreditar, gostar e se apaixonar, tem volta se o caminho não for este?
Alguém já morreu de decepção? Alguém já se matou por se arrepender de não ter feito, de não ter vivido?

É possível parecer tão surreal a ponto de querer que seja real, só pelo prazer de poder acreditar?
Eu sou a rainha das perguntas, mas do que adiantam todas elas se você não responde nem a metade?
Porque esse mistério todo? Porque não quer se jogar? Porque não quer acreditar?
Se você cair no abismo errado, como eu já caí tantas e tantas vezes, só vai ter que ser forte pra conseguir levantar e continuar.
É sofrido, machuca se enganar, mas vale a pena o risco.
Antes a certeza de que não é o que se quis, do que a eterna dúvida do que teria sido se tivesse arriscado!

O medo atrapalha.
O medo de não ser o que parece. O medo de poder arrepender depois.
O medo nos prende, não nos deixa ser intensos, não te deixa viver tudo que pode ser vivido.
Você disse para que eu não tenha medo, mas você teve.
Quero poder arriscar, não é uma vida que está em jogo, é apenas um dos caminhos a ser escolhido.
Tenho medo, mas não quero ter.

O problema sempre vai ser a dependência que prende duas partes, se dependesse de uma apenas, seria fácil, não precisaria de coragem, não teria a glória da conquista, não seria tão bonito.

Decido por mergulhar nesse sonho, nas suas histórias, na sua vida, no meu conto de fadas, por mais irreal e insensato que pareça.
E se tiver que acordar, acordarei na hora certa em que ainda haverá tempo para continuar e fazer outras escolhas, mergulhar em outras vidas, viver novos contos de fadas.

Mas se você quer que seja, será, faça ser!
Vamos juntos?
Ao infinito e além...

d^.^b: Inconsolable – Backstreet Boys

8 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Em princípio, tudo em nós depende de nós.
Cadinho RoCo

Carla Martins disse...

Sinto uma paixão no ar.....

Max Psycho disse...

Just call my name and i'll be there


Bjus minina que eu adoro, apesar de não termos nos dado bem no msn hehehhe

Madame disse...

“Ela não acreditava em vampiros, até se apaixonar por um...”
adorei isso!
sabe eu não tenho certeza ainda, mas acho que estou apaixonada... e ele é tudo isso, é diferente, escreve diferente, não se parece com nada do que ja conheci entende?
Tô me sentindo tão boba falando isso, nem parece coisa de Madame...rs

Mordidas pra vc gata!

Carla Martins disse...

Tem um presente pra vc lá no meu cantinho! Passa lá pra ver!

disse...

Amooooooooooo teus posts, miguinha. Muito muito.

"O medo nos prende, não nos deixa ser intensos, não te deixa viver tudo que pode ser vivido" - sim, esse é meu maior cárcere.

Hoje me empolguei num post de questionamentos tbm. Hehehehe. Na real, acho que tbm queria um conto de fadas, e mais que tudo.... FINAIS FELIZES SEMPRE.

Beijokas

Elaine disse...

Olá!
Este é um comentário-lembrete:
Amanhã, dia 20 de setembro, é o dia da Blogagem Coletiva Uma carta para mim em comemoração ao 1º aniversário do meu blog.
Como seu blog é um dos inscritos estou passando para lembrar.
Espero por você!
Elaine

Nada Mais que eu Mesma disse...

Tem selo para vc lá no blog.
Bjão