terça-feira, 20 de outubro de 2009

Terça- feira, 20 de outubro de 2009 às 00h 34min.
Palácio Lilás – Alto dos Vales

Acho que estou de volta. Vou atualizar os fatos recentes:
Terminei o grande trabalho interdisciplinar da faculdade, vou apresentá-lo quarta. Estou tranqüila e quero fazer o impossível, pra que seja o trabalho mais phodástico da classe.

Tive um final se semana extremamente maravilhoso.
Dia 18 foi aniversário da minha irmã e meus pais resolveram fazer um churrasco. Minha família compareceu em peso, foi super gostoso, é tão bom estar junto com aqueles que agente mais ama, ainda mais quando temos milhões de outros problemas. Só o fato de estar junto e se sentir amada, já fez com que as preocupações fossem deixadas pra depois.
Tiramos o amigo secreto para o final do ano, porque minha família comemora Natal, não sei ao certo se pela religião, mas o fato de ter uma data certa para reunir todos me deixa bem.
A minha pequena está tão linda, ela dança e canta sozinha, adora vir aqui porque tem espaço pra ela correr, brincar de bola, come morangos direto do pé, gosto de sentir as energias positivas que as crianças trazem pra dentro de casa.
Sinto falta de ter todos assim juntos, sorrindo, conversando, bagunçando.

Sinto minha vida fluindo aos poucos, devagar, mas as coisas estão progredindo.
Estou animada com uma série de coisinhas, que e conto depois.

Não gosto muito de falar de religião, porque tenho uma visão um pouco adversa da instituição igreja, e sigo caminhos que as pessoas desconhecem e temem, tanto que nem gosto de chamar meus conhecimentos e princípios de religião*, não acho essa palavra legal, mas me ocorreu algo bem legal e queria registrar.
Quando você sabe coisas sobre determinado assunto, as pessoas começam a se interessar e querer compartilhar dos conhecimentos adquiridos e foi exatamente isso que aconteceu. Não que eu saiba muita coisa, mas sigo uns princípios de vida que são muito atraentes a uma amiga e ela se prontificou a ser minha discípula, para que eu a ensine o que sei.
Isso foi algo realmente bom, porque eu estava um pouco afastada das minhas práticas e agora estou mais empolgada do que nunca, quero aprender tudo que puder pra passar pra ela, pra que ela tenha alguém que indique os caminhos que podem ser seguidos, diferentemente do que ocorreu comigo, porque eu os achei sozinha e isso consumiu um tempo que poderia ser destinado às praticas.
Sei que com a discípula vem uma grande responsabilidade e isso me dá ainda mais vontade de encarar o desafio, porque a responsabilidade me motiva a pesquisar diversas fontes de conhecimento e extrair sempre as melhores coisas pra ela.
Não sei o porquê, mas fico bem mais motivada quando faço algo a alguém do que quando faço por mim. É curioso isso, mas acho que vim pra isso mesmo, pra fazer bem aos outros e ajudá-los a crescer.

Hora do debate:
Uma grande amiga minha terminou com o namorado esses dias, fiquei triste por ela, porque ela gostava dele realmente, mas junto com isso comprovei diversas teses particulares.
Eles estavam juntos a pouco mais de um ano, ele dizia que amava ela, tinha planos de financiar uma casa pra morarem juntos futuramente, tinha ciúme até do vento que tocava o rosto dela e era o tipo “namorado perfeito”, sempre que ia visitá-la levava presente, bombom, flores, trufa ou algum outro mimo. Buscava e levava ela a todos os lugares independentemente das condições ou compromissos dele. Gostava de sair tanto pra passear no shopping, quanto uma pizza com os amigos, como uma baladinha, ele era super simpático e legal com os conhecidos dela. Ele era o cara que toda garota romântica queria ter, mesmo ela não sendo nada romântica.
Terminaram porque ele a traiu, e não quis ser perdoado. Mas um fato em especial: ele foi buscar ela no serviço, passearam, saíram juntos, passaram a noite juntos, tudo bem até a hora de levá-la pra casa, quando ela viu um indício de outra e ele revelou que tava traindo. Tudo desmoronou pra ela e aqui vem a questão: Pra que tudo isso? Ele já tinha decidido que queria ficar com a outra, mas não tinha decidido deixar a namorada.
Pra que planos? Pra que dizer que ama? Pra que ir buscá-la, dar-lhe uma noite agradável, fazê-la bem, pra minutos depois acabar com tudo? Será que ele não iria contar se ela não desconfiasse e cutucasse ele? Até quando isso continuaria?
Acho que toda mulher sabe como ela se sente...

Por isso que eu tento não me apegar, não acreditar nos planos, não acreditar nas palavras, desconfiar dos gestos gentis. Estou sempre preparada pra descobrir um traste a qualquer momento atrás daquele cara super firmeza, sem me deixar abalar. Sei o quanto dói saber que o príncipe não era o seu príncipe, sei o quanto é difícil acreditar, sei os mil motivos que inventamos para não acreditar que é o fim, sei o quanto chora-se, sei o quanto precisamos de alguém do nosso lado, mesmo sabendo que esse alguém não pode fazer nada. Sei o quão lixo nos sentimos, sei a revolta que se passa, sei as vontades que dá, desde quebrar o carro novo dele, até aparecer na sua casa dizendo que o ama e que o perdoa, sem ao menos ele ter pedido perdão.
Por isso cansei de me desgastar por caras assim, se quiser vem buscar, não faço o mínimo esforço e nem questão, se estou solteira é porque ninguém foi o bastante pra mim. Qualquer um eu não quero, quero o melhor e se um fio de cabelo fora do lugar me incomodar é porque ele ainda não é o príncipe.
Srta. Pacheco ao seu dispor!

Fico chateada em ver a forma com que as coisas se desenrolam, com o passar do tempo as pessoas tem menos respeito pelas outras, ainda mais quando envolve pessoas queridas.
Acho que a base para um relacionamento, seja ele qual for {amizade, namoro, casamento, etc.}, é o respeito e a confiança, se esses dois fatores estiverem presentes as coisas se passam de forma natural e saudável, e quando alguma das partes não estiver mais interessada no relacionamento, a outra já saberá pelo jogo limpo e claro, não haverão mágoas e cada um seguirá seu caminho.

Eu estou à sua espera, mas enquanto você não chega, vou vivendo!

d^.^b: I Don’t Care – Ricky Martin

Por hoje é só pessoal!


3 comentários:

Carla Martins disse...

Flor, tem um selinho pra vc lá no meu cantinho! Não sei se vc já ganhou, pq demorei um tempo pra postar, mas ele é seu! :)

beijinhos!

Principe Encantado disse...

Vim conhecer seu espaço e gostei, pode me esperar que voltarei sempre, parabéns.
abraços forte

Carol Fonseca disse...

aff! que barra!
na teoria é fácil dizer que não é pra se apegar,mas na prática...
aff ninguém consegue isso por muito tempo...
é phoda viver!