sábado, 17 de janeiro de 2009

Quinta- feira, 15 de janeiro de 2009 às 16h24min.
Palácio Lilás – Gana

Você é a Nereida dos meus sonhos, é alegria de saber que você existe e suficiente para preencher o vazio que fica quando você vai embora.
Não adianta me abandonar
Porque mistérios sempre há de pintar por aí.
Pessoas até muito mais vão lhe amar,
Até muito mais difíceis que eu pra você.
Que eu, que dois, que dez, que dez milhões,
Todos iguais.
Amigos amantes, amantes amigos.
É a mesma coisa
Os dois precisam ter cumplicidades.
"O amor nasce num olhar, vive num beijo e morre num adeus.
"”
De repente do uso faz-se o pranto
Silencioso e branco como bruma
E das bocas unidas fez-se espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente


Tinham tantas cartas mais, tantos bilhetes deixados na minha mesa, declarações perfeitamente escritas, perfeitamente pensadas e apaixonadas, mas meu querido da época fez questão que eu os jogasse fora, mas ontem achei nas coisas da firma esses dois, e o segundo foi o de partida. Todos românticos e com igual intensidade de amor proibido e apaixonante, sempre sem assinatura porque eu sabia que eram dele e chamando-me de Nereida, sua musa da praia, porém esse amor proibido nunca foi vivido, mas será escrito num livro de outro alguém que não no meu.

O romance de Nereida com o seu amante será narrado e será publicado um dia. Talvez vocês ainda o leiam, vou colocar em primeira mão uma sinopse pra vocês: no texto estão os desejos de um louco apaixonado pela sua musa “Nereida” e para evitar que esse amor proibido acabe com a vida pré-estabelecida para ela e faça com que ela cometa mais besteiras, ele toma uma difícil decisão. O amor é proibido pela família de Nereida, pela sua condição de noiva há dois anos de um rapaz que a família aprova e gosta muito e pela diferença de idade e de caminhos de vida dos apaixonados, ele é um andarilho, vive por aí, por aqui e por lá, ela tinha este sonho, mas na vez que comentou com sua mãe ela achou uma idéia absurda e sem sentido. A história é muito bonita, mas tem um final diferente e chocante. Eu queria saber onde vou encontrar esse livro um dia, então, mantenham-se ligados e se alguém achar me avise.

Todos os sonhos podem se realizar é tudo uma questão de acreditar e lutar por eles.

2 comentários:

Cansada de ser boazinha disse...

Nossa, que profundo o teu post.
Quanto ao seu comentário no meu, eu tb tenho problemas incríveis com minha mãe... ela me trata como se tivesse 15 anos... complicado demais!!
Bjos querida e um ótimo fim-de-semana!!!

Anne disse...

Ah! O amor.
Pois éh guria...amores proibidos...isso me lembra um passado recente.
Enfim....gostei da forma como vc lida...com o possivel...e o impossivel...mas a vida é assim mesmo...e por vezes...vale mais a pena fechar os olhos e dar um tiro no escuro...do q simplesmente ceitar calada aquilo que a vida nos coloca como regra,
Amar é ser livre!!!....e se vc me acompanhar por 50 anos....saberá que este sempre será o meu ditado preferido...AMAR É SER LIVRE.
Te linkei..pq gostei do blog...um bju gde.
Anne.
www.pecadoenaoamar.blogspot.com