segunda-feira, 4 de abril de 2011


4 de abril de 2011 às 22h28min.
Palácio Lilás – Alto dos Vales Valinhenses

Aqui estou, no meu templo da paz, no meu, todo meu e só meu, quarto.
Me sinto bem aqui, mas confesso que ele nem é tão a minha cara assim.
E ultimamente ele parece grande demais, vazio demais.

Enfim, estou lendo o livro do Ricky Martin, e estou achando super.
Quando abrí meu presente de aniversário, soube que havia algo mágico dentro da caixa.
O livro está me mostrando que mesmo nas vidas perfeitas aos olhos de quem está fora, pode haver problemas.
Me identifiquei com uma coisa que o afetou muito: ser diferente.
Ricky Martin é homossexual e isso o faz diferente, ele teve receio em dizer a verdade, em aceitar a verdade pra si mesmo, o que a família vai dizer, o que os amigos vão pensar, será que os fãs vão aceitar? Será que é normal ser anormal?
Porque a sociedade rotula tanto e discrimina tanto é que o medo o pega e o faz se enganar, o faz acreditar ser alguém que ele não é.
Sinto-me quase na mesma situação por ser bruxa.
Meus pais abominam isso. Tenho medo do que meus amigos possam pensar, dizer e fazer. Tenho medo da sociedade cristã, tenho medo da igreja. Às pessoas a quem contei, algumas delas fizeram piada, outras simplesmente não acreditaram e outra ainda disseram que eu não conhecia Deus, por isso estava nesse caminho.

Sei que sou uma bruxa. Desde quando a magia me encontrou não tenho dúvida quanto a isso. Muito pelo contrário, é a maior certeza da minha vida. Mas ainda tenho receio em me assumir pro mundo. Em dizer ao mundo quem eu sou e porque estou aqui. Eu gostaria de ser sincera e dizer mais do que “Fui batizada na igreja católica quando era pequena” quando me perguntam minha religião.
Minha vontade é de encher a boca de orgulho e dizer que sou wicca.
Mas tenho medo da reação das pessoas, as pessoas são ignorantes e intolerantes. Não aceitam alguém que tenha outro ponto de vista, ainda mais com um outro ponto de vista tão radical e tão difamado, como minha religião e como a orientação sexual do Ricky.

Não sei se me sinto exatamento como o Ricky se sentia, mas posso dizer que é semelhante. Não posso usar as roupas que gostaria, não posso fazer meus rituais como gostaria, não posso nem manifestar nada que remeta à magia, porque minha mãe e meu pai já ficam estéricos.

É como não fazer parte do mesmo mundo. É como estar alheio ao que é comum à eles.
É estranho. É difícil.
Agora que começo a me assumir e dizer, pelo menos no blog e pra pessoas que confio {as que conheço e imagino que a reação delas não será tão negativa}, que sou uma bruxa.
Mas ainda tenho medo do mundo.

Mudando um pouco de assunto... Alguém me depilaaaaa!
To com uma preguicite aguda pra fazer isso. Ai ai. Vou dar uma dormidinha.

Preciso tomar coragem pra fazer a lição do inglês logo. Sempre penso isso, sempre penso que num posso deixar pra última hora e faço na sexta a noite e no sábado pela manhã. Hehe!

Enfim, por fim, fui!

2 comentários:

*AnyCat* disse...

Minha linda.. primeiramente brigadinha por tudo, estou perfeitemente bem com meu s2 agora.. ele disse que agora vou ver o que é realmente gostar de alguem como estou gostando do Wesley agora^^...Graças a sua forcinha
mas num foi pra isso que vim num; vim pra te dizer que o medo existe, e que ele vive nos rondando, que ele te pega nos momentos em que voce mais teria que abomina-lo... Vim dizer que apesar das incertezas, que o medo traz, ele pode ser positivo as vezes, por te impedir de fazer coisas que seriam talvez ruins...
No seu caso, o medo de se assumir Wicca tem seus lados ruins claro, mas vivemos em uma sociedade alienada que realmente o diferente é tratado como errado, então o medo por vezes te protege...
Nem todos sabem que sou Wicca, isso eu só conto aqueles que realmente acho que tem que saber, aqueles em que dividem minha vida, aos outros apenas me descrevo como uma garota batizada na igreja católica e que acredita em Deus, mas não concorda com o fundamento de nenhuma religião normalmente "normal" ... A parte de que pessoas que voce conta te consideram louca desvirtuada do caminho de Deus e blá, blá, blá... é simples, se realmente elas forem importantes o suficiente pra voce considerar merecerem uma explicação, pede pra jogarem no google ^^ a primeira pagina é da wikipedia, e num diztudo a respeito, mas diz tudo que precisam saber pra abdicarem desse pré-conceito bobo... Espero que dê certo com voce.. minha família ao menos me aceitaram assim!!!
Mas por via das dúvidas enquanto o medo te rondar voce estará protegida...Faz o seguinte, só de importância a quem realmente se importa com seu bem-estar...a quem merece sua atenção, a quem te aceita como é ^^ e tenhu certeza que será bem mais feliz se num ficar com caraminholas na cabeça...

Elisabete disse...

seu blog é muito lindo e interresante,
estou seguindo....tenha um lindo dia

siga os meus:http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/

e

http://deusemminhaalma.blogspot.com/