sábado, 24 de abril de 2010

Sábado, 24 de Abril de 2010 ãs 2 horas da manhã.
Sala de Jantar de um Palácio nada Lilás.


Eu nasci pra ser a Rainha dos peões!
Fato!
Não adianta tentar fugir desse trágico {?} destino!

Tudo começou com os peões filhos de uma volksmãe...
Conquistei primeiro os peões da minha área, depois os do sindicato, os peões das linhas de ônibus que pegava, os das áreas adjacentes, os monitores, líderes e chefes, até que, por fim, o turno noturno inteiro.

Já fui Rainha da pestana, Miss borracha, princesa, Bella, Raquel, querida, minha flor, meu anjo...
E já estive em muitos sonhos que não quis e tenho pavor de imaginar/lembrar os poucos que me disseram. Já estive num conto nada de fadas, num poster na parede da sala de vidro do chefe e até em um livro, se pá.
Depois de certa fama, cansei de ser colocada no pedestal pelos peões filhos da volksmãe e saí fora.

Mas o sucesso não acabou por aí...
Aqui no interior há uma nova categoria de peões competindo: os motoristas e cobradores de ônibus me idolatram.
Não só eles, porque lembrei-me agora que até o Fiscal da rodoviária me adora.
Todos querem ser meus “amigos”, conversam comigo como se eu fosse a super amiga de muitos anos e fazem ciúmes uns aos outros quando estão disputando minha atenção.

Tem também aquele sucesso que faço com os “alma-peão”, que é o caso de uma turminha do instituto que estudo, aqueles que nem são peões, mas pensam exatamente como um. Cada fã que dá vontade de chorar.

Vez ou outra, trombo com um pior, com uma conversinha manjada, que eu já ouvi pelo menos sete vezes.

Descobri que até os caras que já curti têm um pézinho na vida e peão.
Meu atual Affaire* deve assoviar e mexer com as mullheres na rua. {Ele diz que não, mas duvido que no meio dos amigos do serviço ele fica quieto.}

A categoria de Rainha dos Peões enquadra também ser idolatrada por pedreiros, por técnicos da telefônica e outros mais que ficam em cima de postes {Tipo o Affaire?!? Não sei bem o que ele faz.}, peões de pequenas empresas de usinagem, como as que tem no meu bairro, mecânicos, entregadores de marmitas, açogueiros do Carrefour, caras de estacionamentos e lava-rápidos do centro da cidade, entre outros que não me recordo no momento.

Nada contra os peões, ou a profissão que cada um deles exerce, muito pelo contrario, sei bem como a vida é dura pra meus fiéis seguidores, mas não sei se é bem o que eu queria para casar, por exemplo.


Mas a profecia diz que não tem jeito, não tenho como fugir de uma responsabilidade como esta: ser a musa desses rapazes trabalhadores e esforçados.
Espero que, se for pra casar com um deles, seja o melhor, entre eles, o Affaire!



*Affaire -> Meu novo peguete. Estamos bem, hoje ele tinha todos os motivos pra não ir me ver:
1- Trabalhou a mais de 300km de distância daqui o dia todo.
2- Voltou seis e meia da tarde de viagem e ficou preso no serviço esperando um colega que estava atrasado.
3- Tava cansado.
4- Estava com sono.
5- Chovia e bastante.
E mesmo assim foi me ver no Instituto 6- que ele nem sabia onde era.
7- Ele ficou um pouco perdido até achar o Instituto.
Mas ele foi! Disse que precisava me ver! Ficou um pouquinho comigo, fiz um lanche básico no Max e depois ele foi me levar no ponto de ônibus. *.*

Vai ser difícil me esconder dele se eu quiser, porque ele sabe onde trabalho, onde moro, e agora, até onde eu estudo!
Mas, no momento, eu quero ele!


Por que ele me deixa toda boba?
Porque qual é o homem que ainda abre a porta do carro pra ela entrar!?!

*Litros de Inveja*


Eu bem que queria {e preciso!} escrever mais, mas hoje, nesse momento meu sono me domina. Boa noite/dia para todos!
Por hoje é só pessoal!

Um comentário:

Carol Fonseca disse...

rsrsr,só vc mesmo carol!
rainha dos peões,kkkk!
beijo bom domingo!