sábado, 27 de novembro de 2010


Sábado, 27 de Novembro de 2010 às 00h58min
Palácio Lilás

Você tem razão. Eu e essa maldita dependência de outras pessoas.
Ainda vou me acabar por causa disso.
Sou tão presa aos meus pais que não sei tomar uma decisão.
Já passou da hora de ir...
Quantas vezes já constatei isso?

Eu aqui, triste, magoada, chorosa, e as pessoas as quais me chatearam estão bem, curtindo a noite de sexta-feira!
Pior é ser ferida por quem se ama. Você espera receber uma pedrada do seu inimigo, mas do seu amor não, dói muito mais.


Amanhã vou comprar os presentes de natal e pagar minhas contas e ficar de boa.
Amanhã vou ver se pego meu carro e aproveito que estou sozinha pra procurar uma casa.
Os meus planos estão muito mais perto do que pensam. Eu quero mesmo sair, eu preciso me libertar dessa dependência.

Como hoje, que pensei em deixar de fazer o que queria por causa dos meus pais, por causa da preocupação que eles poderiam vir a ter comigo se eu fizesse o que queria.
Pais se preocupam. E filhos preoucupam os pais.

Mas como já dizia a minha avó, mesmo com as besteiras dos filhos os pais têm que estar junto, se não, quem estará?
E mesmo se eles disserem pra você não voltar tarde, tomar cuidado, não ir a festas de desconhecidos, não beber, não causar, e você for, eles têm que ir te tirar das enrascadas, são pais! São assim.
Minha vó deixa meus pais loucos com essas idéias. Mas fazem sentido.

E eu to pensando um pouco ao contrário.

Pior que ainda sou tão fraca.
Cansei.

Chega de ser essa menininha mimada e dependente do papai.
Chega de ser essa besta, que se abala com qualquer coisa.
Chega de ser essa chorona, que se debulha em lágrimas por qualquer coisinha.

To muito besta mesmo.
Queria estar com o meu amor amanhã.
Mas acabei estragando tudo, um passeio que prometia ser muito belo e pelo qual ansiávamos juntos, deixei me estressar por causa da estupidez alheia, e desmotivei-me, logo desmotivei-o.
Eu queria ficar junto dele. Mas não quero importuná-lo com essas minhas bobagens todas.
Já ando um pouco chata e irritada por causa do trabalho, eu não quero que ele tenha que me aturar nessas minhas crises todas.
Já me basta que eu brigue com ele, faça bico por causa da falta chocolate pra diminuir minha irritação, reclame de todas as coisas com as quais estou insatisfeita, reclame das pessoas, reclame do cansaço e do sono...
Não quero ser essa chata.

Quero ser feliz com ele, quero estar bem com ele, quero ter coisas boas pra contar pra ele, o que ultimamente não tenho feito.

E agora?
Vou comer uma barra toda de chocolate sozinha, ignorando meu enjôo e pedindo aos céus pra não vomitar depois, escovar os dentes e dormir anos.
A porta do meu palácio será trancada e só abrirei quando me sentir pronta pra mudar e bem pra enfrentar o mundo com minhas novas resoluções.

Seja amanhã cedo, amanhã de tarde, ou ainda depois de amanhã.

Preciso me recompor.
Preciso mudar.

Obs. Estou enjoada. Não vou vomitar.

Um comentário:

Cansada de ser boazinha disse...

Entendo vc perfeitamente quando à dependência dos pais. É complicado, minha mãe tb me desmotiva e eu chego a ficar deprimida e perco a vontade de fazer certas coisas. A solução é morar sozinha, mesmo. Coisa que pretendo fazer assim que puder.
Bjos!