domingo, 1 de novembro de 2009

Sexta- feira, 30 de outubro de 2009 às 19h08min.
675 – Via Swift – Campinas

Douglas estava sentado no ônibus com sua filha. Envolto a tantas perguntas da pequena Yasmim, conseguiu parar por poucos segundos para admirar sua pequena boneca. Um largo sorriso paira em seu rosto de pai coruja.
Yasmim tem três anos, é loira, cabelos longos, tem olhos azuis como o céu, igual aos de sua mãe, é extremamente ativa, fala muito e quer saber de tudo. Yasmim é quem ele mais ama na vida, talvez ame mais a ela do que a garota que a colocou no mundo.


Há quatro anos Douglas era um cara comum. Douglas veio de uma família simples, mas muito determinada. Ele estava terminando seu último ano em Direito e já trabalhava num escritório de advocacia num cargo auxiliar quando conheceu Serena.
Ela era simplesmente perfeita, linda, cabelos longos e loiros, olhos azuis como um céu sem nuvens. Na época ela tinha 19 anos e ele estava com 22.
Ele nunca entendeu porque Serena se interessou por um rapaz como ele, ele era tão comum, moreno, alto, cabelos e olhos castanhos, quando passeava de mãos dadas com ela parecia que o brilho do sol se transferia para o seu lado e ofuscava o por completo.
Ela era um pouco maluquinha, terminou o ensino médio e achava suficiente pra viver, nunca teve interesse em fazer nada mais, era meia desmiolada, não tinha emprego fixo e não pensava em futuro. Morava com a amiga Lu num apartamento de um quarto apenas, já há alguns anos e ela nunca falou sobre a família.
Após apenas cinco meses de namoro Serena engravidou. Ele ficou encantado e dividiu com ela todos os planos de que ao se formar, daria entrada numa casa para eles morarem juntos e constituírem uma família como ele tanto sonhava. Serena não se empolgou, mas não deixou transparecer.
Serena acabava de completar 20 anos quando a pequena Yasmim nasceu. Antes mesmo de receber alta, fugiu do hospital e da vida de Douglas. Nem sua colega de quarto, Lu, sabia para onde ela poderia ir, pois ao sair do apartamento disse que moraria com Douglas.

Douglas pegou sua pequena criança e levou a para a casa recém financiada. Seus pais o ajudavam muito com as contas da casa e com Yasmim, mas ele fazia questão em cuidar da pequena o maior tempo possível.
No início foi muito difícil, Douglas não tinha idéia de como cuidar de um bebê recém nascido, mas sua mãe deu-lhe todas as informações necessárias para que ele se tornasse de fato um pai.
Seu chefe do escritório de advocacia o indicou, após a formatura, para ser advogado de uma grande empresa onde ele poderia ter estabilidade e condições para criar sua filha.
Os pais de Douglas não mediram esforços para achar a maluca amada de seu filho, mas ela simplesmente desaparecera e após um ano de cansáveis busca desistiram.

Yasmim está inquieta no seu colo, faz mil perguntas e espera ansiosa pelas respostas, ele faz questão de explicar tudo. É um pai muito paciente e quer que a filha seja esperta e tome gosto pela aprendizagem.
Essa pequena tornou sua própria vida desde que nasceu, e o que ele mais quer é que ela se torne uma mulher linda como a mãe, mas gostaria que ela fosse igual à mãe só na beleza e nada mais.
Ela presta atenção em todos os detalhes que passam pela janela e indica todos eles ao pai.

Eles descem do ônibus, é fim de tarde, mas ainda está calor e Yasmim pede um sorvete.
Douglas entra numa pequena sorveteria afastada do centro da cidade e leva a pequena até o frízer para escolher um sabor, a atendente petulante se aproxima e pergunta:
- Qual a sua sobrinha vai querer?
Douglas respira fundo, já passou por isso diversas vezes, já acharam até que ele tinha roubado a anjinha loira. Ele não diz nada, apenas olha para a filha:
- Papai, quero chocolate com creme!
Douglas sorri para a atendente, pega o sorvete para Yasmim, paga, a atendente cora de vergonha, Douglas segura na mão da filha e sai da sorveteria.


Muitos conhecidos ainda perguntam da Serena, se ele não a procura mais, se não sente saudades, se ainda a ama, mas Serena os deixou, foi uma opção dela, uma criança imatura com uma cabeça vazia, não importa mais.

Ele não liga pra essas coisas, só ele sabe o quanto aquela princesinha o faz feliz.

4 comentários:

Leandro Lima disse...

Putz... isso dueu em mim...
"- Qual a sua sobrinha vai querer?"

Nota Mil, saudades de visitar tão ilustre Palácio...

Excelente Feriado!

Max Psycho disse...

só respondendo a seu comentario em meu bog, agora as noticias e seus respectivos comentarios ou suas explanações (como queira) ficaram para o twitter já que meu blog virou blog oxigenio (tá no ar mas ninguém vê)

passa lá pelo meu twitter e voce ficará atualizada com noticias fresquinhas

http://twitter.com/max_psycho

Carla Martins disse...

Adorei!!!! Arrasou!

beijinhos

¨¨Édna¨¨ disse...

adorei teu blog... voltarei aqui muitas vezes viu...
beijossss

p.s.: tem selinho pra ti lá no meu blog.